Em coletiva do Cine PE, Cássia Kis dá uma aula sobre o cinema e a vida

O terceiro dia da programação do Cine PE – Festival do Audiovisual começou, como de costume, com uma coletiva de imprensa no Hotel Nobile Executive, em Boa Viagem. Os representantes dos quatro curtas e dois longas-metragens exibidos na última sexta-feira (1º) foram recebidos em uma sala lotada por jornalistas e convidados. Esse espaço de debate, defendido há 22 anos pela produção do evento, é dos grandes méritos do festival, levando-se em consideração a troca de informações e experiências que ele proporciona. A atriz Cássia Kis, uma das homenageadas desta edição e que também participou do bate-papo, provou a importância do momento. Durante todo o tempo em que esteve no palco, Cássia foi assistida por olhares atentos.

Com mais de 20 filmes no currículo e uma extensa carreira na teledramaturgia brasileira, Cássia trouxe para a conversa um pedaço de sua bagagem de vida. Com 40 anos de trajetória no cinema, TV e teatro, Kis revelou que não se apega aos números: “Sabe que eu não sou essa pessoa? Eu não sei dizer quantos filmes eu fiz, quantas peças, eu não tenho ‘a personagem da minha vida’. Essa coisa não faz parte de mim”. A atriz deixou claro que o fundamental é viver o momento e abraçar as oportunidades que aparecem. “Eu gosto da vida, e não é só que eu goste de viver: eu gosto da vida, eu gosto dos dramas dela, eu gosto da memória, de tudo que a arte nos dá, da maneira que a gente vai se construindo”, avaliou.

Sobre bastidores, a atriz trouxe uma lembrança das gravações de “Amores Roubados”, da TV Globo. Exibida em 2014, a minissérie acompanhava uma relação cheia de conflitos entre mãe e filho: “Eu vivia uma prostituta e o Cauã [Reymond] era meu filho. Ele roubava a mãe e fugia pro Nordeste. Antes de começarmos as filmagens, nós nos encontramos e… eu amo o Cauã e ele me ama, mas ali nós concluímos que, para interpretar nossos personagens, nós não poderíamos nos encontrar no cotidiano. Ficamos sem nos falar durante quatro meses, e criamos um abismo que resultou numa das cenas mais incríveis que eu já fiz na vida”.

Na noite deste sábado (2), o Cine PE rende homenagem ao ator Rodrigo Santoro. Serão exibidos durante a programação os curtas “Cara de Rato” (PE), “Plantae” (RJ), “Através de Ti” (RS) e “Vidas Cinzas” (RJ), além dos longas “Marcha Cega” (SP) e “Dias Vazios” (GO). A distribuição dos ingressos, a partir das 16h no Cinema São Luiz, é gratuita, e as exibições começam às 19h30.

“Henfil” é consagrado melhor filme do Cine PE 2018

A 22ª edição do Cine PE – Festival do Audiovisual chegou ao fim na noite desta terça-feira (5), no Cinema São Luiz, e consagrou o documentário “Henfil” como o Melhor Longa-Metragem escolhido pelo Júri Oficial do evento e pelo Júri Popular. Dirigido por Angela Zoé, a...

22º Cine PE chega à reta final

Com a exibição dos quatro curtas e um longa-metragem, na noite desta segunda-feira (04), a 22ª edição do Cine PE - Festival do Audiovisual caminha para seu fim. A última noite de projeção levou ao tradicional Cinema São Luiz, no Centro do Recife, as últimas produções...

Patrocinador Master

Patrocinador

Co-Patrocinador

Promoção

Realização